PEQUIM PREVÊ RITMO FRENÉTICO DE LANÇAMENTOS ENQUANTO MIRA NA LUA!

Indústria Espacial

A China emergiu como uma potência no setor espacial, demonstrando um rápido progresso e conquistas significativas nas últimas décadas. Desde o lançamento do seu primeiro satélite artificial, Dong Fang Hong 1, em 1970, até as missões mais recentes, como a missão Chang’e 5, lançada em novembro de 2020, que coletou e trouxe de volta à Terra amostras do solo e rochas da Lua, algo que não era realizado desde a década de 1970, com as missões Apollo.

Além da histórica missão Tianwen-1, a primeira missão interplanetária do país que colocou com sucesso um Orbitador, Lander e o Rover Zhurong em Marte, fazendo da China o terceiro país a fazer um pouso bem-sucedido no planeta vermelho, depois da União Soviética (atual Rússia) e dos Estados Unidos.

Também opera de forma independente uma Estação Espacial, a Tiangong, possuindo sua própria frota de espaçonaves de tripulação e carga e uma equipe de taikonautas, termo dado aos seus astronautas.

Recentemente, o taikonauta Tang Hongbo estabeleceu o recorde de maior tempo no espaço por um astronauta chinês, estando mais de 215 dias em órbita.

TRAÇANDO OS PRÓXIMOS PASSOS

Para avançar ainda mais, Pequim está se preparando para um ritmo frenético de lançamentos orbitais, a estreia de novos foguetes e o desenvolvimento dos planos de exploração tripulada da Lua, além de missões robóticas interplanetárias.

Em 26 de fevereiro, a Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China lançou o “Livro Azul das Atividades de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (2023)”, um documento traçando os próximos passos do Programa de Exploração Espacial do país para 2024.

O país deverá realizar cerca de 100 missões de lançamento este ano. Entre as aproximadamente 100 missões de lançamento, o Grupo de Ciência e Tecnologia Aeroespacial planeja lançar cerca de 70 missões, implantando mais de 290 satélites em diferentes órbitas. O restante dos 30 lançamentos será realizado por empresas do setor privado.

Isso representa um aumento de 50% em relação a 2023, que já estabeleceu um recorde de 67 lançamentos. Quando comparamos os números de voos orbitais em anos anteriores, vemos um salto exponencial dos lançamentos. Em 2019 foram 34 vezes, 44 vezes em 2020, 55 vezes em 2021 e 64 vezes em 2022.

NOVOS FOGUETES

Para atender ao grande número de lançamentos, o país está planejando a estreia de dois novos foguetes de médio porte para 2024, o Long March 6C e o Long March 12.

O Long March 6C é um veículo de dois estágios totalmente movido a Kerolox, uma mistura de oxigênio e querosene, também conhecido como a mistura mais suja da face dos motores de foguetes.

O LM-6C pode realizar uma variedade de missões de lançamento e colocar cargas de até duas toneladas em órbita sincronizada com o Sol. Apesar de ser um foguete descartável, possui características de alta confiabilidade, baixo custo de lançamento e forte adaptabilidade para as mais variadas missões.

O Long March 12 também é um veículo de combustível líquido de dois estágios, com capacidade para entregar até 10 toneladas de carga útil à órbita baixa da Terra e até 6 toneladas à órbita sincronizada com o Sol.

Possui 4 motores YF-100K no primeiro estágio, o YF-100K também impulsionará o foguete lunar tripulado Long March 10, e 2 motores YF-115 no segundo estágio, seu diâmetro de 3,8 m permite um transporte por vias férreas, diminuindo significativamente a logística de lançamento, também poderá ser lançado de quatro diferentes plataformas.

O Long March 12 será usado principalmente para lançar constelações de satélites em órbita baixa da Terra, como o sistema comercial multisatélites de sensoriamento remoto, que a China pretende iniciar este ano. Isso só é possível graças à sua carenagem de 5,2 m, que é mais adaptável a satélites, o que permite o lançamento de várias cargas de uma só vez.

NOVO ESPAÇOPORTO

Para apoiar esse ritmo frenético de lançamento e a estreia desses novos foguetes, o primeiro espaçoporto comercial da China será inaugurado por volta de junho. A primeira torre de serviço foi concluída.

Localizado na cidade de Wenchang, na província insular de Hainan, no sul da China, o novo complexo de voos orbitais atenderá a lançamentos estatais, como o Long March 8, e aos voos comerciais de diferentes empresas.

ACELERADO O PLANO DE EXPLORAÇÃO LUNAR

No espaço, a Estação Tiangong entrará em modo de operação normal este ano, com o lançamento de 2 espaçonaves de carga e 2 tripuladas, além de 2 missões de retorno de astronautas.

Após a conclusão da construção e a normalização das operações da Estação Espacial Chinesa, o pouso na Lua tornou-se o próximo grande objetivo dos chineses na exploração espacial. A quarta fase do projeto de exploração lunar foi acelerada. No primeiro semestre de 2024, o satélite retransmissor de dados Queqiao-2 e a sonda Chang’e-6 serão lançados para a Lua.

A missão Chang’e 6 trará de volta à Terra as primeiras amostras de solo e rochas da bacia do Polo Sul – Aitken, a maior cratera de impacto conhecida, na face da Lua que não podemos ver da Terra. Como a sonda não poderá se comunicar diretamente com a Terra, o satélite retransmissor Queqiao-2 será lançado antes para fornecer serviços de comunicação de retransmissão para Chang’e-6 e garantir que o contato Terra-Lua seja mantido durante o processo de coleta de amostra.

Instrumentos científicos da França, Itália e da Agência Espacial Europeia (ESA), além do Paquistão estarão a bordo do módulo de pouso da missão Chang’e-6.

ESPAÇONAVES TRIPULADAS LUNAR

Recentemente, o Escritório de Engenharia Espacial Tripulado da China divulgou os resultados da votação popular para nomeação das espaçonaves tripuladas de nova geração que enviarão e colocarão os taikonautas chineses na Lua.

A cápsula que levará os astronautas até a órbita da Lua se chamará “Mengzhou” (“Barco dos Sonhos”) e o módulo de pouso recebeu o nome de “Lan Yue” (“Abrace a Lua”). A China está visando o pouso lunar tripulado até 2030.

Em 2026, está previsto o lançamento da “Chang’e 7” para procurar evidências de água no polo sul da Lua; Em 2028, está previsto o lançamento da “Chang’e 8”, que cooperará com a Chang’e 7 para estabelecer uma versão básica da estação internacional de pesquisa científica lunar no polo sul da lua; Na década de 2030, será construída uma estação internacional abrangente de investigação científica lunar; depois disso, será construída uma estação de investigação científica lunar avançada para formar uma base lunar multifuncional própria da China.

Além disso, a China planeja uma extensa exploração planetária de 2025 a 2050, incluindo missões de retorno de amostra de asteroide, coleta e retorno do solo e rochas de Marte e sobrevoo de Júpiter e seus satélites em 2035, e o pouso humano em Marte na década de 2050.

Outros projetos espaciais chineses para o ano de 2024 incluem o lançamento do Satélite de Detecção de Salinidade Oceânica, o Satélite de Monitoramento Eletromagnético 02, o Satélite Astronômico Sino-Francês, Shijian No. 19.

Os feitos e planos apresentados refletem a ambição e o contínuo progresso da China no cenário espacial mundial. Os lançamentos planejados demonstram as avançadas capacidades técnicas do país no desenvolvimento e operação de foguetes espaciais. A missão de coletar e trazer amostras de solo e rochas do lado oculto da Lua representará um marco significativo na exploração lunar contemporânea, evidenciando o compromisso contínuo da China com a exploração espacial.

Pequim está solidificando sua posição como uma potência espacial global, do voo espacial não tripulado ao tripulado, da exploração lunar à de Marte, a indústria aeroespacial chinesa continua a avançar e contribuir significativamente para a exploração espacial humana. Com suas ambições e conquistas impressionantes, a China está se estabelecendo como um líder nato na exploração espacial do século XXI.

1 thought on “PEQUIM PREVÊ RITMO FRENÉTICO DE LANÇAMENTOS ENQUANTO MIRA NA LUA!

  1. Hello my loved one I want to say that this post is amazing great written and include almost all significant infos I would like to look extra posts like this

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *