Foguete russo Soyuz sofre raro aborto de última hora durante lançamento de 3 astronautas para a ISS

Indústria Espacial

O aborto ocorreu apenas 21 segundos antes da decolagem.

Um foguete russo Soyuz que transportava três astronautas com destino à Estação Espacial Internacional sofreu um raro aborto na plataforma de lançamento na quinta-feira (21 de março), enquanto a tripulação esperava ansiosamente dentro de sua espaçonave.

O aborto ocorreu apenas 21 segundos antes do foguete Soyuz lançar a astronauta da NASA Tracy Caldwell Dyson, o cosmonauta russo Oleg Novitskiy e a participante do voo espacial Marina Vasilevskaya da Bielo-Rússia para a Estação Espacial Internacional (ISS) do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. A decolagem estava marcada para 9h21 EDT (13h21 GMT).

“O lançamento da Soyuz para a estação espacial foi abortado”, disse o porta-voz da NASA, Rob Navias, durante comentários ao vivo. “Portanto, não há visitantes na Estação Espacial Internacional hoje. A próxima oportunidade de lançamento, enquanto se aguarda a resolução do que aconteceu hoje, seria na manhã de sábado”, acrescentou. Você pode acompanhar o lançamento no Expansão Astronauta

AO VIVO: LANÇAMENTO DO FOGUETE RUSSO SOYUZ | Missão Tripulada MS-25

Um foguete russo Soyuz transportando os três astronautas Soyuz MS-25 da Expedição 71 é visto na plataforma de lançamento em 21 de março de 2024, antes de um aborto de última hora que ocorreu no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. (Crédito da imagem: NASA TV)

Navias disse que a interrupção foi acionada por um sistema automático pouco antes da ignição do motor; duas conexões umbilicais foram retraídas do foguete antes do lançamento planejado. A Roscosmos, a agência espacial russa, enviou engenheiros à plataforma de lançamento logo após o aborto para garantir que o veículo estava seguro e que a tripulação poderia ser extraída.

“O veículo está seguro, todas as operações de abastecimento foram encerradas”, disse Navias. “Todos os comandos de segurança foram fornecidos a bordo do foguete para que não haja perigo para a tripulação. Eles estão perfeitamente seguros.”

O centro de controle da missão da NASA transmitiu por rádio a notícia do aborto do lançamento aos astronautas a bordo da ISS logo após sua ocorrência. Os controladores de voo deixaram claro que a tripulação da Soyuz estava segura.

Informações recentes dizem que o aborto do lançamento da Soyuz pode ter sido devido a uma bateria descarregada. “A razão foi identificada, acabamos de descobrir numa reunião da comissão estatal que a razão foi uma queda de tensão na fonte de corrente química”, disse o diretor-geral da Roscosmos, Yuri Borisov, num comunicado publicado hoje na conta Telegram da agência espacial russa.

Sobre o lançamento

Um foguete russo Soyuz lançará três pessoas, incluindo um astronauta da NASA, em direção à Estação Espacial Internacional (ISS). O foguete está programado para lançar a espaçonave Soyuz MS-25 do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, no sábado dia 23/03/2024 às 9h21 EDT (13h21 GMT; 18h21, horário local de Baikonur).

Na Soyuz MS-25 estarão Tracy C. Dyson da NASA, o cosmonauta Oleg Novitskiy da agência espacial russa Roscosmos e Marina Vasilevskaya, uma participante do voo espacial da Bielorrússia.

Se tudo correr conforme o planejado, o trio chegará à ISS pouco mais de três horas após o lançamento, às 12h39. EDT (1639 GMT) no sábado.

A astronauta da NASA Tracy C. Dyson (à esquerda), o cosmonauta da Roscosmos Oleg Novitskiy (centro) e a participante do voo espacial Marina Vasilevskaya (à direita) da Bielorrússia posam para um retrato no Centro de Treinamento de Cosmonautas Gagarin em 2 de novembro de 2023. (Crédito da imagem: GCTC /Andrei Shelepin)

O lançamento de sábado dará início ao terceiro voo espacial de Dyson, o quarto de Novitskiy e o primeiro de Vasilevskaya. Os dois últimos spaceflyers ficarão em órbita por apenas 12 dias; eles voltarão à Terra em 2 de abril a bordo de uma Soyuz diferente, junto com o astronauta da NASA Loral O’Hara, que está encerrando uma temporada de 6,5 meses na ISS.

Dyson viverá a bordo do laboratório orbital durante seis meses, voltando para casa em setembro com Oleg Kononenko e Nikolai Chub da Roscosmos, que estão conduzindo uma missão de um ano na ISS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *