ECONOMIA ESPACIAL DEVE MOVIMENTAR 1,8 TRILHÃO DE DÓLARES ATÉ 2035

Indústria Espacial

Um recente relatório do Fórum Econômico Mundial e da consultoria McKinsey & Company, intitulado: “Espaço: A oportunidade de 1,8 trilhão de dólares para o crescimento econômico global”, revela que até 2035 a indústria espacial global triplicará, atingindo US$ 1,8 trilhão. Em tamanho e escala, será equiparável à indústria global de semicondutores.

Segundo o relatório de 52 páginas, a economia espacial crescerá mais rapidamente do que o Produto Interno Bruto (PIB) mundial, em cerca de 9%, passando de 630 bilhões de dólares em 2023 para aproximadamente 1,8 trilhão de dólares em 2035. Esse crescimento será principalmente impulsionado pelos serviços de posicionamento, navegação e comunicação via satélite. Estima-se que mais de 58 mil satélites serão lançados até 2030.

O relatório destacou quatro conclusões principais:

1 – A influência da indústria se estenderá além das fronteiras da própria astronáutica.

Seus efeitos podem ir além dos satélites, lançamentos ou empresas de dados, impactando indústrias aparentemente não relacionadas ao melhorar a eficiência, reduzir custos, monitorar emissões, fornecer conectividade e rastrear operações.

2 – O espaço se tornará uma parte fundamental da economia global até 2035

Muitos setores empresariais se beneficiarão de tecnologias espaciais, incluindo cadeia de abastecimento, transporte, alimentos e bebidas, defesa patrocinada pelo Estado, varejo, bens de consumo e estilo de vida, e comunicações digitais, representando mais de 60% do crescimento da economia espacial.

3 – O espaço conectará pessoas, bens e serviços

O número de satélites lançados anualmente cresceu a uma taxa de 50%, Enquanto os custos de lançamento caíram 10 vezes nos últimos 20 anos, o que permitiu mais lançamentos. Espera-se que as comunicações globais por satélite de baixa latência se tornem uma fonte significativa de receita, a medida que o preço dos dados, fundamental para a conectividade, está diminuindo, uma tendência que deverá continuar em diferentes setores.

O crescimento dos serviços de lançamento era esperado, à medida que os custos diminuem e novos serviços se tornam viáveis a preços mais baixos. Grande parte desse crescimento se deve à empresa SpaceX, que lança seu foguete Falcon 9 por preços acessíveis, com uma cadência de lançamento em média a cada 3 dias. Além disso, a tecnologia dos grandes foguetes deverá se tornar onipresente até meados da década de 2030, o que abrirá mais oportunidades para colocação em órbita a preços acessíveis.

4 – Os investimentos no espaço terão resultados não só financeiros, mas também humanitários

A economia espacial não apenas oferece oportunidades comerciais, mas também promete ajudar a enfrentar alguns dos maiores desafios do mundo, como as alterações climáticas e a luta contra a fome. Graças aos alertas de catástrofes e monitoramento das alterações climáticas e agricultura.

Embora o relatório preveja que a economia espacial global atingirá 1,8 trilhão de dólares até 2035, uma estimativa ainda mais otimista de 2,3 trilhões de dólares pode ser alcançada com base na melhoria do acesso aos dados e na redução dos custos de entrada no espaço.

Para aqueles que desejam beneficiar da economia espacial, é essencial investir nas indústrias e empresas habilitadas pela tecnologia espacial, além de construir negócios possibilitados por tecnologias baseadas no espaço. Isso mostra que o dinheiro aplicado na exploração espacial não é um gasto, mas um investimento com grandes retornos a médio e longo prazo.

24 thoughts on “ECONOMIA ESPACIAL DEVE MOVIMENTAR 1,8 TRILHÃO DE DÓLARES ATÉ 2035

  1. I do trust all the ideas youve presented in your post They are really convincing and will definitely work Nonetheless the posts are too short for newbies May just you please lengthen them a bit from next time Thank you for the post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *